Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Soprador de Brasas

O Soprador de Brasas

MANIFESTOS ANTIGOS

Hoje vou começar por publicar todos os meus manifestos antigos no face book, como inquietações, um por semana, e irei reflectir sobre assuntos fracturantes na nossa sociedade, tambem, todos terão o nome de INQUIETAÇÕES, por serem assuntos onde a verdade é multipla e onde é dificil haver entendimento na humanidade

Este poema marcou a minha existência e inquietou-me para sempre, foi encontrado no corpo do Aspirante paraquedista Zirnheld, das Forças Armadas Francesas Livres, morto em combate em 1942 no norte da África, especificamente na Líbia, em Tobruk, quando já retirava depois de uma missão de destruição de um aerodromo Alemão

 

Dai-me, Senhor meu Deus, o que Vos resta;
Aquilo que ninguém Vos pede.
Não Vos peço o repouso nem a tranquilidade,
Nem da alma nem do corpo.
Não Vos peço a riqueza nem o êxito nem a saúde;
Tanto Vos pedem isso, meu Deus,
Que já não Vos deve sobrar para dar.
 
Dai-me, Senhor, o que Vos resta,
Dai-me aquilo que todos recusam.
Quero a insegurança e a inquietação,
Quero a luta e a tormenta.
 
Dai-me isso, meu Deus, definitivamente;
Dai-me a certeza de que essa será a minha parte para sempre,
Porque nem sempre terei a coragem de Vo-la pedir.
 
Dai-me, Senhor, o que Vos resta,
Dai-me aquilo que os outros não querem;
Mas dai-me, também, a coragem
E a força e a fé.
 
 

Esta estrofe é a essência da aprendizagem e da Humildade de ser

 

Dai-me, Senhor, o que Vos resta,
Dai-me aquilo que todos recusam.
Quero a insegurança e a inquietação,
Quero a luta e a tormenta.

 

Dai-me aquilo que os outros não querem;
Mas dai-me, também, a coragem
E a força e a fé.
 

Esta Serie de INQUIETAÇÕES, são reflexões pessoais, baseadas, nos meus temores, nas minhas paixões, nos seres que me habitam que podem ser vários, ou por vezes simplesmente ninguem, são INQUIETAÇÕES de uma mente ávida por saber, sabendo que nada sabe e que quanto mais pensa saber, maior sensação tem de não saber, uma mente que se julga humilde numa enorme vaidade de ser,  são inquietações de um inquieto que gosta das incertezas da vida e da alma, que gosta de dias de sol e vento e trovoadas e dos elementos, de um dos 7 biliões de habitantes na terra e que pertence aos 3 biliões que tem a sorte de ter comida para dar aos filhos, sabendo que por dia morrem 16 mil crianças  no silêncio do planeta e mais grave que isso, 16 mil almas são reenviadas para o espaço onde lhes foi castrada e possibilidade de serem, uma mente inquieta com os filhos que matam os pais idosos para lhes ficarem com os bens, inquieta com um mundo onde se pretende dividir-nos por generos, raças, credos, ideologias e onde o amor cada vez é mais escasso.

 

As minhas INQUIETAÇÕES com mulheres que venero,  seu cheiro, sexo, as suas subtilezas e estranhezas que me inquietam e despertam para mim como homem e me fazem ser o meu melhor eu, cheio de amor, gentileza, cavalheirismo e charme de um caçador ingénuo que acredita no amor e na sua pureza, o meu profundo respeito pela mulher mãe, guardiã do lar e das suas crias.

 

INQUIETAÇÕES com assuntos fracturantes, a morte, a vida, a violência das mulheres para com os homens e a violência de homens crápulas contra mulheres mais frageis fisicamente e contra crianças, a espiritualdade, , INQUIETAÇÕES sobre o DEUS e o DIABO que nos habita e a possibilidade de sermos hediondos e compassivos.

 

INQUIETAÇÕES com os meus filhos amados  Catarina, Sasa, Pedro Miguel e com aqueles que ainda vierem...

 

INQUIETAÇÕES será o titulo das minhas reflexões, não programadas, porque não controlo o que penso, e o que me irá acontecer, poderei ver um velho, ou uma criança, um cão ou uma nuvem e a minha mente de principiante, a minha prespectiva de achador e não daquele que procura se emocionar e se inquietar para escrever.

 

Hoje acorder INQUIETO, como todos os dias e apaixono-me por essa incerteza e inquietude, que é tudo o que os outros não querem, mas que rogo a Deus para não me as tirar, pois são o meu mais preciso

quero-a-inquietude-do-filosofo-a-serenidade-e-a-pa

 

bem. 

 

Um bom dia

 

Soprador de Brasas

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Soprador de Brasas

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D