Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Soprador de Brasas

O Soprador de Brasas

SOCIEDADE DESCARTAVEL DE SOCRATES A PEDRO CHAGAS FREITAS

30741571_1684349088315583_8358957229445298329_n.jp

mw-680.jpg

A SOCIEDADE DESCARTAVEL DE SOCRATES E PEDRO CHAGAS FREITAS.

Este texto é uma mera opinião e analise e nada tenho contra estas pessoas, e embora nada tendo um a ver com o outro, há algo que os une e que não depende deles, mas sim de quem vê e de quem lê.

Em relação ao Socrates, uma pergunta que faço e que estranho:

É etico, é normal , é moral passarem na televisão para milhões de pessoas, interrogatórios que são feitos a uma pessoa por um procurador, com detalhes que só têm a ver com a vida dessa pessoa tenho feito ela o que tenha feito?

Se fosse com um de vocês, se a vossa vida fosse devassada dessa forma seria legar, seria ético, seria moral a sangria feita pelas televisões e expor perante todos o desrespeito imenso que socrates têm pelo procurador, tendo eu chegado a pensar que o interrogatorio era feito sim a um procurador sem tomates e intimidado pelo senhor socrates. Eu penso que é normal, é norma vivermos sem etica, sem moral, e imoralidade é tão normal que achamos normal ver na televisão este espectaculo que vai contra todas as regras que a democracia diz ter e a qual todos os partidos assistem calados sem mandar por um fim a este merda de televisões e de devassa e expor a vida de cada um sem consequencias e sem pensar nelas.

Outro aspecto que é curioso refere-se ao Pedro Chagas Freitas, que leio de vez em quando e sempre que o leio arrepio-me mas por uma questão puramente tecnica da sua escrita, e arrepio-me pelo vazio dentro das pessoas a necessitar de um espaço, seja ele qual for que tem de ser prenchido não por elas, mas por outra pessoa.

Em baixo vejam um texto do Pedro, eu gosto, até me faz sonhar, ....mas visto de perto, para mim é um vazio que gera ainda mais vazio, e o vazio dentro de cada um pode criar-se por não pensar, ou nao ter vontade de pensar sobre as coisas e sem se aperceber desta tecnica subtil das generalizações que o Pedro usa.

Penso que o Pedro pode nem ter consciência deste processo e acredito que o faz porque tem um padrão de pensamento cheio de generalizações, distorções e omissões, que todos temos , mas que os podemos controlar.

Este texto está cheio de generalizações, linguagem ensinada aos politicos para envolverem a manada no sonho do rebanho, generalizações geram um vazio porque incluem toda a humanidade numa verdade , como se toda a humanidade fosse plana, sem identidade, sem opinião e de forma subtil todos acreditamos ter o mesmo pensamento, sobre vazios e abstrações.

Os textos do Pedro estão cheios de generalizações, ( identificadas entre parentesis), algumas omissões e distorções, o que para quem lê, se deixa incluir nesse tipo de pensamento, pensando que tambem é seu, avido de ter um pensamento que não teve de vir a ter uma vida que não experimentou.

" (Ninguém).... tem a vida que tem;.... (todos).... têm, isso sim, a vida que pensam ter, o que.....( raramente.....) é a mesma coisa, e ainda bem. Coloquem-se duas pessoas a passearem juntas à mesma hora na mesma rua deserta e sem nada para ver e (perceba-se imediatamente)........ que...... (não existem ruas iguais)......., como...... (não existem vidas iguais)...... por mais que se viva exactamente o mesmo, porquanto uma pode ficar triste porque a rua...... (nada)...... tem para ver e parece abandonada e morta, e a outra pode até ficar feliz por ter finalmente uma rua pacífica e silenciosa para escapar do bulício incansável da cidade. Vive-se....... (sobretudo)....... antes da vida – antes de a vida se cruzar connosco – e depois da vida – quando....... (efectivamente)....... construímos em nós o que a vida nos trouxe. É então a memória,...... (pouco mais)......, (que define)....... o que vivemos. E tu, se não o sabias, não é porque não o soubeste...... (nunca)......;...... (apenas)....... não o memorizaste.
Fixa: a felicidade é uma questão de timing – .......(como tudo)......, (na verdade), é uma questão de timing. Espero ter chegado a tempo de te avisar disso. Vai. Pira-te."

Pedro Chagas Freitas.

em baixo o texto tirando todas as generalizações, torna-se mais factual, mais real, menos atractivo porque não impoe verdades de uma pessoa como verdades absolutas, não impõe, modelos de pensamentos, que valem o que valem

"têm a vida que têm, isso sim, a vida que pensam ter, o que é a mesma coisa e ainda bem. 
Coloquem -se duas pessoas a passarem juntas á mesma hora na mesma rua deserta e sem nada para ver e que por mais que se viva exactamente o mesmo, porquanto uma pode ficar triste porque na rua tem para ver e parece abandonada e morta e a outra pode até ficar feliz por ter finalmente uma rua pacifica e silenciosa para escapar ao bulicio incansavel da cidade.

Vive-se antes da vida- antes da vida se cruzar connosco- e depois da vida - quando construimos em nós o que a vida nos trouxe. Então a memoria é o que vivemos. E tu se não o sabias. não é porque não o soubeste, não o memorizaste.

Fixa: a felicidade é uma questão deTiming.....é uma questão de timing. Espero ter chegado a tempo de te avisat disso: vai. Pira-te"

Pode ser que estejamos a viver de forma descartavel, generalista, imoral, vazio, gerando vazio morais e de ideias mas se é isso que todos gostem, mamem e calem.

Tentem ir caminhar e fazer um exercicio...Pensar, digo-o com toda a humildade, eu faço-o e consigo ser eu a escrever como o Pedro Chagas Freitas, ( sem generalizações) ou a falar com a verborreia do Socrates..... como qualquer um de vocês consegue fazer. Treino, treino, treino.

Bom dia

Pedro Tinoco de Faria

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Soprador de Brasas

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D